sexta-feira, 26 de outubro de 2012

O ponto G tem tanta importância mesmo?


Todo mundo sabe que ele existe, mas muitos não sabem onde ou quantos são os Pontos G’s. Uma dúvida que muitas vezes angustiam mulheres que ainda não o descobriram ou que ainda não conseguiram alcançar o orgasmo.
O Ponto G foi descoberto em 1950, pelo ginecologista alemão Ernest Gräfenberg da onde o nome Ponto G, dado em sua homenagem. Encontrar o Ponto G, tornou-se uma obsessão para a maioria das mulheres, para melhorar a qualidade do prazer. Porém boa parte delas, acaba se decepcionando por nunca ter conseguido localizá-lo. Afinal, será que o ponto G tem tanta importância assim?
Corpo: uma grande zona erógena
A sexóloga regina Navarro Lins defende: “Toda menina deveria aprender que tem um Ponto G”. Mas ela lembra que hoje se fala em muitos outros pontos. “Devem existir muitos, pois o corpo é uma grande zona erógena. Quanto mais as pessoas puderem descobrir as zonas de prazer, melhor. Sexo é um aprendizado.”
Mas há quem diga que existe outros pontos que facilitam o orgasmo, como o ponto D, defendida pelo mestre De rose, presidente da União Internacional de Ioga. Ele diz: “Ao contrário do ponto G, que fica na parede do canal vaginal, o D se localizaria bem no fundo da vagina”.
É aconselhável que o casal encontre o ponto G como um jogo sexual, diz o psicólogo e sexológo Charles Rojtemberg, mas garante que em termos de orgasmo, é insignificante. Pois afirma que o que determina o prazer na cama, é a manipulação do Clitóris, sem ele a mulher não teria prazer algum. Diz também, que cada mulher possui uma sensibilidade maior em determinada área. Agora se você ficar procurando demais, vai acabar perdendo a sua sensibidade, publicou o blog Sexualidade.
O ponto G tem tanta importância mesmo?
É preciso clima para se chegar ao orgasmo
Há sexológos que afirmam que nem todas as mulheres apresentam esse ponto, pois se encontra atrofiado. O orgasmo é um conjunto de sensações e envolvimentos, a mulher pode até descobrir onde fica seu ponto G, mas se há problemas emocionais com o parceiro, se não há um clima, de nada adianta, reafirma Rojtemberg.
Quanto a ejaculação feminina, é semelhante a do homem, sai num jato, mas isso depende do nível de testosterona da mulher.
Mulher também ejacula
Fisiologicamente falando, toda a mulher tem a capacidade de ejacular durante o orgasmo. Com a forte excitação, as glândulas localizadas em trono da uretra – apelidadas de próstata feminina – expelem um líquido transparente, completamente diferente da urina e da lubrificação vaginal. É um verdadeiro jato que pode chegar a 120 ml. Mas há mulheres que só liberam algumas gotas e nem percebem que estão ejaculando.
Concluíndo: A estimulação do ponto G é uma ótima maneira de se chegar a essa prazeirosa emissão de líquido: com orgasmos múltiplos, é quase certo ejacular.
Mas é importante que se tenha sentimento na relação, clima e envolvimento, você deve estar relaxada e se entregar ao prazer, que a ejaculação chega como uma experiência erótica de enorma intensidade.


Nenhum comentário: